"Amo a vida e espero que cumprida não seja breve, que intensamente seja sentida e leve, até que me leve."

sexta-feira

SEM EMPATIA


O semáforo estava fechado e mesmo assim o carro avançou, e atropelou o jovem que atravessava a rua. Ninguém parou pra ajudar. Nada de aglomerado ao redor. Nenhum outro carro parou, nem ao menos diminuiu. A família não chorou, pois nem soube. Ninguém chamou o resgate. O corpo não foi retirado. O sangue escorreu até secar.

O semáforo abriu e fechou por várias vezes e ninguém parou. Os carros se chocaram no cruzamento e se acumularam. Sobrepostos e engavetados. Algumas pessoas morreram, outras se feriram. Mas nada foi feito. Nenhuma atitude foi tomada. Os que podiam andar seguiram a pé. E foram atropelados mais a frente. E ninguém parou pra ajudar. O sangue escorreu até secar.

Caros, pratiquem a empatia. Cada vez menos ela é usada. E sem ela, a sociedade não sobrevive.
Hugs,
Felipe Menezes.

Um comentário:

  1. Vim aqui parabenizá-lo pela excelente arte visual produzida. Em especial pela sutileza com a qual foram denotadas as expressões das personagens, o que é importantíssimo para o efeito de realismo visivelmente pretendido e magnificamente alcançado em toda sua plenitude. Estou certo de que falo em nome de todos que acessam esta página ao dizer que, esta arte, por meio de seus traços marcantes e efeitos que denotam a qualidade de luz e profundidade do ambiente, foi capaz de me situar em uma outra realidade para melhor compreender a cena tratada pelo texto. Que, por sinal, também é bacaninha. =B

    ResponderExcluir